“A relação entre humanos e robôs redefinirá como vivemos e trabalhamos”, diz o CEO da Human Robotics

A Human Robotics, especializada no desenvolvimento de soluções em robótica, está expandindo suas operações em todo o Brasil. A startup criou o primeiro robô de autoatendimento para os setores de varejo, saúde e serviços com interação, além de outro para transporte de cargas na indústria, ambos com abordagem humanizada.

Essa ampliação de mercado envolverá o trabalho de equipes comerciais que estão sendo abertas nos estados: Amazonas (Manaus), Paraíba (João Pessoa), Distrito Federal (Santa Maria), Rio de Janeiro (São João do Meriti), São Paulo (Guarulhos, Barueri, Jundiaí, Campinas, São José dos Campos), Santa Catarina (Blumenau, Joinville, Florianópolis) e Rio Grande do Sul (Porto Alegre). No Paraná, onde fica localizada a sede da Human, haverá ampliação para os municípios de Pato Branco e São José dos Pinhais.

“Reconhecemos o papel importante da robótica na melhoria da qualidade de vida e da logística industrial. Nosso objetivo é impulsionar setores e municípios, contribuindo com o desenvolvimento por meio das nossas inovações. Dessa forma, buscamos não apenas oferecer soluções, mas ser agentes de progresso, colaborando para a transformação tecnológica da comunidade”, explica Olivier Smadja, CEO da Human Robotics, que registrou crescimento significativo nos últimos anos. No ano passado, atingiu o faturamento de R$ 1,2 milhão, e em 2024 almeja chegar a R$ 4,8 milhões com seus robôs.

A expansão prevê a comercialização do Robios GO, criado para interagir de maneira autônoma com os clientes, em atendimentos. O robô pode falar e compreender mais de 100 idiomas, conversando por meio áudio, texto, imagens e vídeos. Possui inteligência artificial (IA) integrada, o que permite saudações e respostas avançadas.

Nos supermercados, os robôs desempenham diversas funções, desde receber clientes até fornecer informações detalhadas sobre os produtos e, em alguns casos, conduzi-los fisicamente aos itens desejados. Além disso, são capazes de detectar pessoas, verificar o uso de máscaras e detectar prateleiras vazias e divergências de preços

Na área da saúde, permitem otimizar o tempo de atendimento, realizando triagens, auxiliando médicos na alta dos pacientes e proporcionando visitas humanizadas à distância. Já em feiras e eventos, o Robios GO desempenha o papel de anfitriões, recepcionando visitantes, guiando-os até o estande desejado e atuando como vendedores, oferecendo informações detalhadas sobre os produtos.

“O robô fornece dados importantes sobre os atendimentos e interesses do público, proporcionando insights estratégicos para melhor posicionamento no mercado e a tomada de decisões estratégicas pelas empresas”, diz Olivier Smadja, CEO da Human Robotics.

Outro robô que será comercializado é o Robios Cargo, autônomo de transporte de cargas leves, projetado especialmente para ambientes industriais. Com capacidade de carga de até 40 quilos, sua estrutura integrada possui um layout de transporte configurável, que se adapta às diferentes formas de cargas que precisam ser transportadas. Oferece eficiência e segurança na movimentação autônoma, pois são equipados com tecnologia avançada, como a “Light Detection and Ranging” (Lidar), que utiliza pulsos de laser para mapear o ambiente.

“Por meio de câmeras de profundidade e visão computacional, o Robios Cargo e o Robios GO conseguem detectar objetos, mapear o ambiente e navegar de forma autônoma com alta precisão podendo ser chamado e enviado para qualquer ponto, seja por controle manual ou integração de sistema, possibilitando o monitoramento em tempo real de seu trajeto. Sua versatilidade é evidenciada pela estação de recarga automática e também por serem personalizáveis, adaptando-se a diversas aplicações e segmentos”, explica Olivier.

O uso de robôs em setores da indústria e de serviços deve movimentar um mercado que vai atingir US$ 43,32 bilhões até 2027, segundo estimativas da Statista, empresa alemã de pesquisa de mercado e plataforma de dados. Somente em 2023, os investimentos em soluções robóticas deverão alcançar US$ 34 bilhões. Estados Unidos, China, Alemanha e Coreia do Sul são os países que farão os maiores investimentos no setor.

Dessa forma, a expansão estratégica da Human Robotics não apenas fortalece sua presença nesse cenário, mas também destaca seu papel como catalisadora da inovação e impulsionadora do progresso em diversas cidades do país. “A relação entre humanos e robôs redefinirá como vivemos e trabalhamos. Enxergamos essa evolução dessa interação como um divisor de águas. Ao integrar de forma harmoniosa humanidade e tecnologia robótica, estamos forjando um caminho em direção a um futuro onde a inovação e a eficiência promovem uma melhoria significativa na qualidade de vida e na otimização de processos em diversos setores”, conclui Olivier Smadja.

DEIXE UMA RESPOSTA