[xyz-ips snippet="Banner-728x90"]

Na manhã desta quarta-feira, 14/06, a Redação deste portal de notícias recebeu informações sobre denúncias por parte da Assessoria para Assuntos de Urbanos de que um esgoto estaria despejando águas inapropriadas, através de tubulação subterrânea feita para o escoamento e drenagem de minadouro no leito do rio. Para o IDERB – Instituto de Defesa Rio Balsas, a tubulação deveria receber somente mineral que brota das nascentes que vem do lençol freático para evitar a erosão e danos nos calçamentos urbanos, já que existem muitos que margeiam as principais ruas que dão acesso ao rio.

France Farias, uma das assessoras para assuntos externos do IDERB, ao detectar bolhas e impurezas juntamente com a água que escorre constantemente observou que havia algo de errado e que poderá estar vazando dejetos de fossas ou que as mesmas estejam ligadas diretamente nas tubulações que direcionam ao rio. “A partir do momento em que pude perceber as espumas saindo nesta água, me preocupei com o que poderia estar chegando ao alcance dos banhistas e das lavadeiras que todos os dias utilizam das águas do Rio Balsas.”. Disse a expedicionária do Instituto.

 

Para ela, “não resolve ficar somente na preocupação senão procurar de imediato o departamento governamental responsável pela fiscalização do meio ambiente e fui atrás”. Concluiu France.

Seu pedido foi atendido pelo Meio Ambiente e o secretário adjunto acompanhou o IDERB que, após observar e colher águas que saem da tubulação, prometeu recorrer ao departamento de análise do SAAE e que dará resposta imediata.

Outra preocupação do Instituto é que as férias estão chegando e é no período de veraneio que as margens e leitos do rio transbordam de banhistas, entre adultos e crianças, além da lavadeiras que ganham seus sustentos diariamente.

A assessora do IDERB também acentuou a falta de cuidados que acometem as lavadeiras diante da luta pela preservação da limpeza do rio. Muitas sacolas, caixas e frascos de sabão são deixados nas pedras onde lavam suas roupas e são levados pelo vento ou são jogadas no leito, o que descem água abaixo, poluindo mais ainda.

No início deste mês, 05/06, uma equipe do IDERB, em parceria com a equipe de Escoteiros, praticou ato de limpeza em parte das margens do rio e detectou várias formas de degradação, inclusive construções sendo feitas à beira do rio além de portos sendo abertos, causando desmatamento ribeirinho.

1 Comentário

  1. Parabéns pelo o apoio a limpeza das margens do rio balsas há 50 anos eu morei aí não tinha água encanada hoje tem mais o rio tem que ser limpo

DEIXE UMA RESPOSTA

catorze + oito =