O Dia do Rio Balsas ocorre no primeiro domingo do mês de junho, quando, pela manhã, acontece a missa celebrada em suas margens, com a benção e soltura de milhares de alevinos em seu leito.

O celebrante desta manhã de domingo, 06/06, foi o bispo da Diocese de Balsas, Dom Valentim Fagundes, que resumiu a ação em prol do comprometimento da preservação da natureza, em especial desta veia hídrica que alimenta 510 km de extensão e banha os municípios de Balsas, Sambaíba, Loreto, São Félix de Balsas, Benedito Leite – maior afluente sul maranhense que deságua no rio Parnaíba.

Dom Valentim também comentou sobre a campanha da igreja católica e da Diocese para o replantio de 08 milhões de mudas, em 08 anos, nos 68 mil km², o “Projeto Laudato si: reflorestando o cerrado”.

19 cidades compõem o projeto: Alto Parnaíba, Tasso Fragoso, Riachão, Balsas, Loreto, Fortaleza dos Nogueiras, Feira Nova, Nova Colina, São Raimundo das Mangabeiras, Benedito Leite, São Domingo do Azeitão, Mirador, São Felix de Balsas, Sucupira do Norte, Nova Iorque, Pastos Bons e Paraibano.

“Quem ama cuida”. Acentuou Pe. Genivaldo Ribeiro, co-celebrante, ao lado do bispo.

O Secretário de Meio Ambiente, Rui Arruda, que durante todo o mês de junho cumpre planos de ações relacionados à sua pasta, com replantio de árvores do cerrado no Parque Centenário, escolas e outras áreas do município, também participou ativamente do Dia do Rio Balsas, com o despejo de alevinos.

TRADIÇÃO

Antes da missa, geralmente no Porto dos Caraíbas – local que deu origem ao município – uma balsa de talos de buriti com a imagem de Santo Antônio (padroeiro de Balsas) em um andor, é seguida por barcos, canoas, lanchas e em sua maioria jet skis, descem do povoado Canaã até o destino, Porto dos Caraíbas, no centro da cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA