O Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) lançou, dia 20/07, o Boletim de Conjuntura Econômica Maranhense. A publicação faz uma ampla análise sobre a dinâmica da economia maranhense a curto e médio prazos, bem como análise dos cenários nacional e internacional.

O nível de atividade econômica do Estado é avaliado por meio de indicadores relacionados ao Produto Interno Bruto (PIB), à produção agrícola, à confiança do empresário industrial, ao financiamento imobiliário e ao comércio.

Para contextualizar de maneira ampliada a realidade do Maranhão, a equipe de Conjuntura Econômica do Imesc analisa no Boletim de Conjuntura, a sistemática do cenário internacional, tratando da dinâmica das principais economias avançadas e emergentes, além da análise da economia nacional, mapeando os principais condicionantes da situação da economia brasileira.

O Boletim de Conjuntura apresenta ainda análises relacionadas ao endividamento do Estado, ao comércio exterior, ao mercado de trabalho e às finanças públicas estaduais (incluindo a avaliação da responsabilidade fiscal), além da análise dos desdobramentos e impactos das principais políticas públicas sobre a atividade econômica no Estado.

Cenário maranhense

Com a provável retração do Produto Interno Bruto (PIB) nacional na casa de 3,5% em 2016, teremos no triênio 2014-2016 uma queda acumulada superior a 8% no PIB brasileiro, sendo superior a 12% no PIB per capita. Esse cenário gera forte impacto na realidade estadual, uma vez que gera forte retração nas transferências correntes federais, a exemplo do Fundo de Participação do Estado (FPE) com perda de R$ 1,3 bilhão na arrecadação do Estado entre janeiro de 2015 e junho de 2016.

O Maranhão perde também com a paralisação de programas e obras federais, a exemplo do Programa Minha Casa Minha Vida e de outras obras de infraestrutura federais, a exemplo da duplicação da BR-135.

Esses impactos negativos gerados pela crise nacional, no entanto, atingem o Maranhão com menor intensidade em relação a outros estados, em função de medidas anticíclicas e fiscais adotadas pelo governo estadual.

O Boletim de Conjuntura Econômica Maranhense do 2º trimestre de 2016 encontra-se disponível no site do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos. Acesse pelo link: http://imesc.ma.gov.br/src/upload/publicacoes/Boletim_de_conjuntura_2%C2%BA_trimestre_2016.pdf

DEIXE UMA RESPOSTA