Vigorexia: síndrome é silenciosa e pode causar câncer em quem malha demais

    0
    511
    ESCRITO POR LIGIA LOTÉRIO - BOLSA DE MUJLHER
    [xyz-ips snippet="Banner-728x90"]

    Síndrome de Adônis ou vigorexia é um transtorno caracterizado pela insatisfação constante com o corpo. Semelhante à anorexia, o distúrbio interfere na visão da pessoa sobre si mesma, o que a leva a praticar atividades físicas exageradamente para se sentir melhor. Porém, a sensação de dever cumprido nunca chega, mesmo que o corpo já esteja muito musculoso.

    Querer definir o corpo e deixá-lo mais atraente não é uma atitude negativa, mas quando o limite entre o saudável e a obsessão é ultrapassado, surgem consequências para o indivíduo. Portanto, é preciso ficar atento aos sinais e buscar tratamento se você observar o vício em si mesmo ou em outra pessoa.

    O que é vigorexia

    mulher musculosa espelho 0117 400x800

    Vigorexia é um transtorno que faz com que a pessoa sempre fique descontente com seu corpo, achando-o fraco e pequeno. Para melhorá-lo e alcançar a hipertrofia, que é o aumento do volume dos músculos, o indivíduo passa a fazer academia incessantemente.

    De acordo com Diego Freitas Tavares, médico psiquiatra e coordenador do ambulatório integrado de bipolares do Grupo de Estudos de Doenças Afetivas da USP, o distúrbio é um transtorno dismórfico corporal – nome dado aos quadros em que o paciente não se enxerga como realmente é -, que foi recentemente reclassificado como doença do espectro obsessivo-compulsivo, já que o indivíduo deixa de se concentrar em outras atividades porque não consegue parar de pensar em seu físico.

    Apesar de sua incidência ser mais frequente em homens, a vigorexia também pode atingir mulheres.

    É preciso esclarecer que nem todas as pessoas com músculos muito proeminentes e os fisioculturistas são vigoréxicos, pelo contrário, é possível alcançar corpos extremamente definidos sem fazer uso de drogas e treinando com uma frequência saudável.

    Sintomas e sinais do transtorno

    dismorfobia espelho 0117 400x800

    O principal sintoma da vigorexia é que, mesmo em ótima forma física, o vigorexo continua infeliz com sua aparência. O vício em academia ainda leva à adoção de dietas restritivas, muitas vezes baseadas no consumo exagerado de proteínas, e também ao uso de anabolizantes, o que causa diversos riscos para a saúde.

    Segundo a médica nutróloga Maria Del Rosario Zariategui de Alonso, diretora do Departamento de Distúrbios Alimentares da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), os vigoréxicos não reconhecem que estão com o distúrbio, sendo necessária a intervenção de familiares para tratar o problema. O quadro ainda acaba descoberto em consultas devido às lesões adquiridas pelo excesso de treino e sobrepeso dos músculos.

    Entre os sinais da vigorexia, estão:

    • Insatisfação insistente e vergonha do corpo, achando-se feio ou, até mesmo, deformado
    • Obsessão pela prática de exercícios devido à aparência física, passando várias horas na academia
    • Dor muscular e cansaço constante
    • Irritação e agressividade
    • Depressão e insônia
    • Adoção de dietas restritivas
    • Aumento do ritmo cardíaco ao repousar
    • Falta de libido
    • Autoestima e confiança baixas
    • Ato excessivo de ver seu reflexo por espelhos
    • Comportamentos repetitivos, como olhar fotos de si mesmo várias vezes e compará-las com as de outras pessoas

    Consequências da vigorexia: câncer, anemia e mais

    sistema cardiaco corpo 0117 400x800

    Se não tratada, a vigorexia pode causar problemas de saúde graves, como deficiência de nutrientes, insuficiência renal ou hepática e doenças de circulação, além de lesões em músculos, articulações e ligamentos pelo excesso de atividade física. Outro problema comum é que exercícios em excesso podem diminuir a capacidade reprodutiva, pois causam alterações hormonais nas mulheres.

    Segundo o professor de educação física e fisiologista Gilberto Coelho, o uso de anabolizantes e um regime desequilibrado também contribuem para o aparecimento de doenças cardiovasculares, anemia, câncer de próstata e diminuição do tecido testicular.

    Enquanto o corpo é sobrecarregado, a mente também é afetada de forma brutal, podendo apresentar quadros de depressão graves.

    Tratamento

    mulher na terapia 216 400x600

    Ao contrário do que se imagina, não é preciso parar de treinar para tratar a Síndrome de Adônis. De acordo com o professor de educação física e fisiologista Gilberto Coelho, as atividades físicas podem continuar se forem readequadas para que não hajam excessos.

    O paciente também precisará de acompanhamento nutricional e médico, de modo a fazer uso de remédios caso necessário. O tratamento psicológico é outra etapa importante que é realizada por meio da terapia, eficaz em transtornos da imagem distorcida.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    doze + 17 =