Transportes sofrem com alta do combustível e borracha, mas gestão eficiente pode reduzir perdas

    0
    532

    Aumentos atingem em cheio os consumidores, seja nos postos ou nas gôndolas. Transportadoras fazem de tudo para driblar a alta nos fretes e soluções em gestão podem garantir 25% de economia, muito bem-vinda neste momento.

     

    O brasileiro não aguenta mais ouvir falar em aumento no preço dos combustíveis. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados em junho/2021, em maio, a gasolina teve um aumento de 2,31%, o gás veicular 23,75%, o etanol 12,92% e o óleo diesel (4,61%).

    Para o mês de julho, a Petrobras já anunciou um novo aumento para a gasolina de 6,3% (R$ 0,16 nas refinarias), fazendo com que o litro do combustível saia de R$ 2,53 e chegue a R$ 2,69 nas refinarias da estatal. Já o diesel terá um reajuste médio de 3,7% (R$ 0,10) por litro e passará a custar R$ 2,81 nas refinarias da Petrobras. Isso sem contar os acréscimos por conta de impostos e tarifas até o combustível chegar aos postos, a preços abusivos e impraticáveis.

    A alta dos preços afeta o cidadão comum diretamente no abastecimento de seu veículo, como também indiretamente, através do preço dos produtos nas gôndolas, que aumentam devido aos fretes. Estima-se que, em média, cerca de 50% dos gastos com a frota em uma transportadora são com o combustível.

     

    Combustíveis passam por altas consecutivas e ativam o sinal de alerta nas transportadoras

     

    Como esse cenário parece não ter volta, é preciso apelar para soluções que possam minimizar os gastos. Saber onde e quando gastar nunca foi tão importante quanto agora.

    Buscando manter a boa prática de preços competitivos e garantir a permanência das operações, transportadoras e empresas de logísticas recorrem à tecnologia e sistemas de gestão para minimizar os gastos e reduzir desperdícios com a frota. Como em qualquer ramo de negócios, a prática de uma gestão eficiente de recursos acaba sendo a peça-chave para manter as contas em ordem.

    Uma aposta certeira é o investimento em ferramentas de gestão que permitam, a partir da tecnologia e BI (Business Intelligence) gerenciar a frota e otimizar de forma automática a gestão de insumos como o combustível, permitindo, assim, que a economia seja gerada.

    Paulo Cezar Raymundi, CEO da Gestran

    Paulo Raymundi, CEO da Gestran, empresa paranaense com mais de 20 anos de mercado no desenvolvimento de ferramentas para gestão de frotas, diz que o investimento em tecnologia de gestão pode gerar a curto prazo um retorno muito interessante.

    “Com a nossa plataforma chamada de Gestão de Frotas, conseguimos entregar, em média, de 20 a 25% de economia para a frota toda, pois nosso sistema tem uma tecnologia que avalia e cruza uma série de dados e oferece aos nossos clientes as melhores opções”, diz Paulo Raymundi.

    Desenvolvido em ambiente web 100% on-line, a plataforma SaaS de Gestão de Frotas da Gestran foi desenvolvida a partir dos processos e necessidades das transportadoras e gestores de frota, removendo burocracia desnecessária, simplificando e automatizando os processos de gestão da frota, entre eles; combustível, pneus, manutenção e despesas.

    “A tecnologia possibilita automatizar e acelerar os processos operacionais diários, auxiliando na redução dos custos e aumentando a lucratividade das empresas”, ressalta Raymundi.

    Negociação em postos garante preço mais baixo

     

    Aplicativo emite alertas de postos com preços baixos a motoristas

    Além disso, o Gestão de Frotas também permite a busca por melhores preços na região, emitindo alertas de serviços que podem ajudar na negociação com postos de combustível a partir da visualização dos preços no sistema.

    “É possível fazer uma simulação no site da Gestran a partir da nossa calculadora de impacto, que mostra na hora qual o tamanho da economia que pode ser atingida”, reforça o CEO da Gestran.

    Além disso, a plataforma é única, on-line, integrada, com busca automática da NF-e no Sefaz, o que permite a automatização de processos manuais, gestão do estoque de combustível, monitoramento em tempo real, integração com bomba interna, redução de custos e erros com lançamentos e controle de descontos nos abastecimentos.

    Outros aumentos

    Se não bastasse o aumento no preço dos combustíveis, outros insumos, como pneus, também têm passado por uma alta de preços, em especial pelo aumento no preço da borracha no mercado internacional e pela alta do dólar.

    As fabricantes de pneus, como Pirelli, Continental e Michelin, enviaram às transportadoras um comunicado de um aumento médio de 5% para julho-agosto de 2021 no preço dos pneus.

    No entanto, como o módulo específico para a gestão de combustível, o Gestão de Frotas também tem um módulo para controle de pneus, com a mesma premissa de economia para pequenas, médias e grandes frotas.

    DEIXE UMA RESPOSTA