Sepe, IMESC e UEMA definem calendário de ações do ZEE Biomas Cerrado e Costeiro

    0
    361
    O secretário de Estado de Programas Estratégicos, Luis Fernando Silva, recebeu em seu gabinete, nesta semana, o reitor da Universidade Estadual do Maranhão, Gustavo Pereira da Costa, e o presidente do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (IMESC), Dionatan Carvalho, para alinharem o cronograma do Zoneamento Ecológico Econômico do Maranhão (ZEE-MA), na etapa que contempla os Biomas Cerrado e Costeiro.
    Também participaram da reunião o vice-reitor da UEMA, Walter Canales; o Pró-Reitor de Extensão e Assuntos Estudantis da Uema, Paulo Catunda; o diretor de Estudos Ambientais e Cartográficos do IMESC, Josiel Ribeiro Ferreira; e o coordenador do ZEE, pesquisador Luiz Jorge Dias.
    O trabalho será finalizado até o fim do ano e vai envolver centenas de pessoas, entre técnicos e pesquisadores, muitos dos quais pertencentes ao quadro da UEMA. “Enquanto que nos demais estados que possuem o ZEE, o trabalho foi iniciado pelo projeto de lei, no Maranhão, primeiro analisamos a realidade do território, a partir dos estudos técnicos e com a participação da sociedade nas etapas das audiências públicas, e só então, foi criado um projeto de lei. Por isso, o ZEE maranhense possui riqueza de informações, oferece inúmeras possibilidades de subsídio para pesquisas e estudos, com o diferencial de que todo o material concluído está disponível para acesso da população”, informou o secretário Luis Fernando.
    Planejamento
    No próximo dia 7 de fevereiro, o Governo do Maranhão, por meio da Sepe e do IMESC, e a UEMA assinam o convênio para início dos trabalhos dos Biomas Cerrado e Costeiro, além do convênio para monitoramento do Bioma Amazônico, etapa que foi concluída em 2019.
    Na solenidade será renovada a parceria exitosa que resultou no ZEE do Bioma Amazônico, finalizado no final do ano passado. “O ZEE é uma conquista extraordinária de valor técnico, científico, acadêmico, político e histórico. A UEMA se sente feliz e, ao mesmo tempo, responsável pelo processo dessa grande meta mobilizadora do Governo do Estado. Já alinhamos o cronograma da execução de modo que até o fim do ano estejamos monitorando o Bioma Amazônico e entregando o trabalho dos Biomas do Cerrado e Costeiro”, afirmou o reitor da UEMA, Gustavo Pereira da Costa.
    Pesquisador sênior do ZEE, Luiz Jorge Dias, destacou que, com o planejamento de ações para 2020 consolidado, à medida que as etapas forem sendo concluídas, serão entregues à população, a exemplo do que ocorreu durante a construção do ZEE Bioma Amazônico. “Teremos as entregas do Sumário Executivo, Banco de Dados, Cenarização e Zonificação e as audiências públicas. Vale destacar que o Bioma Cerrado contempla 98 municípios, cerca de 200 mil km² e corresponde a 59% do território maranhense”, explicou o pesquisador.
    Já o presidente do IMESC, Dionatan Carvalho, também reforçou a importância desse trabalho. “O ZEE é um importante instrumento de planejamento e ordenamento territorial regional, que contempla medidas e padrões de proteção ao meio ambiente, além de funcionar como um catalizador do desenvolvimento para atividades econômicas e sociais sustentáveis”, pontuou.
    ZEE
    O ZEE é uma importante ferramenta de planejamento a ser utilizada tanto pelo poder público, quanto por agricultores, pecuaristas, empresários, pesquisadores e qualquer pessoa que queira conhecer mais sobre o território maranhense. Ele é composto de uma série de pesquisas e estudos sobre solos, relevos, vegetação, fauna e componentes humanos de uma determinada região.
    De posse dessas informações, tanto agentes públicos quanto privados podem tomar as melhores decisões com relação a planos, programas e projetos, que utilizem recursos naturais, sem prejuízo da manutenção do capital ecológico e econômico. Ademais, o ZEE promoverá a democratização do conhecimento geoeconômico maranhense.
    A construção do ZEE é coordenada pelo IMESC, autarquia vinculada à Secretaria de Estado de Programas Estratégicos (SEPE), em parceria com a Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Serviço Geológico do Brasil (CPRM).
    Em fevereiro, o governador Flávio Dino apresentará o resultado finalizado do Zoneamento Ecológico Econômico do Bioma Amazônico durante a abertura dos trabalhos da Assembleia Legislativa.
    Fonte: Imesc/MA

    DEIXE UMA RESPOSTA