Projetos que serão apoiados na 5ª edição do Edital da Fundação Cargill

    0
    393

    Com recorde de inscrições, a instituição selecionou 20 iniciativas de 14 cidades e 9 estados brasileiros.

    A 5ª edição do edital da Fundação Cargill, além de ter recordes de inscrições, traz uma novidade: nesse ano foram selecionados 20 projetos para receberem de R$ 50 mil à R$ 200 mil para a realização de suas iniciativas. São sete projetos a mais que no edital anterior. A instituição tem como foco a promoção da alimentação segura, sustentável e acessível e auxilia projetos alinhados a estre propósito e que estejam dentro de um raio de 150 km do entorno das unidades e escritórios da Cargill.

    As 653 propostas recebidas, 300% a mais que em 2018, foram avaliadas quanto ao alinhamento e coerência com a própria organização e a missão da Fundação Cargill; à consistência do planejamento e gestão; ao impacto e à relevância frente ao contexto local em que se pretende atuar; ao potencial de escala e a consequente transformação social; e aos fatores que assegurem a continuidade da iniciativa. Além disso, nesse ano, o edital contou com a inclusão de startups atuantes há pelo menos um ano e instituições de ensino e pesquisa públicas ou privadas com no mínimo, três anos de existência.

    Confira abaixo os projetos selecionados:

    • FRUTI PC – Película líquida natural comestível para prolongamento da vida útil pós-colheita (Toledo, PR): Desenvolvido pela Biogenesis Centro de Pesquisa e Desenvolvimento, o projeto visa utilizar uma película líquida natural comestível para promover aumento do tempo de vida útil de prateleiras de frutas vermelhas. A iniciativa irá beneficiar 25 pequenos produtores rurais e 10 mil pessoas na região.

    • Se Liga no Desperdício: cozinhando e alimentando com consciência (São Paulo, SP): O projeto tem como objetivo combater o desperdício de alimentos no Restaurante Central, desenvolvido também pela equipe Liga Solidária, que fornece cerca de 44.100 refeições por mês, gerando 1,8 toneladas de perdas mensais. A proposta irá beneficiar 8.500 pessoas e atuar contra o desperdício em toda a cadeia desde o pré-preparo, distribuição, consumo até a destinação dos resíduos.

    • Redução do desperdício de alimentos na escola e melhora do estado nutricional de crianças (Goiânia, GO): A equipe da Universidade Federal de Goiás – UFG irá promover atividades de educação alimentar e nutricional com merendeiras e cozinheiras de 6 escolas da região. O objetivo é estimular a redução de lixo orgânico, além de melhorar os hábitos alimentares das crianças. Também serão elaborados materiais didáticos para serem utilizados como instrumentos de intervenção e que poderão ser replicados nas demais escolas do município.

    • Aproveitamento e uso sustentável do mel de cacau em alimentos (Campinas, SP e Ilhéus, BA): A Fundação de Desenvolvimento da Unicamp (FUNCAMP) quer criar uma percepção de valor e implementar soluções inovadoras na cadeia produtiva do cacau por meio de novas práticas de beneficiamento, aproveitamento e novos usos do mel de cacau produzido na região de Ilhéus.

    • Aproveitamento do resíduo da extração da água de coco verde (polpa e casca) (São Caetano do Sul, SP): O projeto do Instituto Mauá de Tecnologia visa desenvolver processos de produção de ingredientes e produtos, como sorvetes, pães e bolos, a partir do resíduo da extração da polpa e da casca do coco verde.

    • Embalagens ativas: possibilidades de inovação com uso de plantas do Cerrado (Barreiras, BA): Desenvolvido pela Universidade Federal do Oeste da Bahia, o projeto tem como objetivo o desenvolvimento de biopolímeros (biofilme) para embalagem de alimentos com plantas nativas do Cerrado, visando o uso sustentável e preservação do bioma. Além disso, também serão realizadas ações com a comunidade para melhoria da segurança alimentar dos produtos comercializados em feiras livres.

    • Agricultura Nutritiva: Biofortificação de variedades de feijão caupi na melhoria da qualidade alimentar (Balsas, MA): O feijão caupi faz parte da cultura regional de Balsas, e adepto ao estresse hídrico, porém o sistema produtivo é deficiente. Dessa forma, a equipe da Universidade Estadual do Maranhão – Campos Balsas, levará para a região, por meio do programa de alimentação escolar (PNAE), o uso de sementes biofortificadas, enriquecidas com bactérias fixadoras de nitrogênio (FBN), melhorando assim a qualidade alimentar e a renda do agricultor familiar.

    • REPASSA (Alfenas, MG): Por meio de parcerias público-privadas, a Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL) visa a elaboração de produtos alimentícios a partir de subprodutos dos Sistemas Alimentares do Sul de Minas Gerais. Assim, com o apoio, a equipe irá promover a articulação entre pesquisa e desenvolvimento, assessoria técnica ao Banco de Alimentos, empresas e pequenos produtores locais; promoção da saúde e da formação profissional da população em vulnerabilidade social.

    • Agricultura Agroflorestal com Sistemas Microbianos (São José dos Campos, SP): Será desenvolvida pela Obra Social Célio Lemos em parceria com UNIFESP, uma metodologia de plantio em Sistemas Agroflorestais com micro-organismos promotores de crescimento e/ou biofertilizantes na horta da Obra Social Célio Lemos e, assim, disseminar a iniciativa para outros produtores. A produção será utilizada para consumo interno da creche e, posteriormente, para vendas de produtos nas comunidades do entorno.

    • Diagnóstico do uso racional da água na produção de tomate para processamento industrial em Goiás (Goiânia, GO): O projeto da Universidade Federal de Goiás (UFG) irá comparar o manejo da irrigação que o produtor de tomate faz com o que ele deveria fazer e apresentar o potencial agronômico e ambiental do melhor uso da água. A ideia é convence-lo a fazer o uso correto oferecendo um aplicativo de fácil uso. Eles se beneficiarão com dados meteorológicos em tempo real, com os resultados do diagnóstico, com o uso do aplicativo e com cursos de capacitação.

    • Inovação tecnológica na produção de fertilizantes biológicos organo-minerais quelatizados na cultura do tomate orgânico (Goiânia, GO): Desenvolvida pela Universidade Federal de Goiás (GO), a inovação tecnológica em insumos agrícolas biológicos quelatizados – fertilizantes revestidos com substâncias húmicas para otimizar a liberação de nutrientes – está associada à redução do passivo ambiental que serão produzidos a partir de resíduos agroindustriais, e também à expansão da cadeia produtiva de alimentos com maior qualidade nutricional e acessível à sociedade.

    • Plantando Mel nas áreas do sistema agroflorestal (Brasilândia, MS): A Associação Esperança dos Agricultores Familiares e Hortifrutigranjeiros de Brasilândia irá realizar ação comunitária, por meio de mutirões, para a implantação de 28 áreas de meliponários em sistemas agroflorestais para famílias ligadas às associações Almanara, Esperança, Pedra Bonita e Santana Santa Emília. A iniciativa contará com o envolvimento de jovens, adultos e idosos que serão conscientizados na preservação das abelhas nativas e do meio ambiente.

    • Escola Itinerante de Agroecologia na Amazônia (Careiro, AM): Por meio de cursos e assessoria técnica, a Casa do Rio irá promover a transição agroecológica e garantir a segurança alimentar das famílias de agricultores no território norte da BR-319, fortalecendo as comunidades e estruturando o setor da agricultura familiar em torno da produção de alimentos saudáveis.

    • Fibras e Amidos de tubérculos ainda não comercializadas industrialmente. (Caapiranga, AM e Campinas, SP). A ideia do projeto da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) é promover o desenvolvimento econômico sustentável de Caapiranga (AM) por meio de pesquisas sobre os tubérculos cultivados no município, que serão processados em modelos de casas de farinhas, gerando novos ingredientes e/ou produtos e aplicações alimentícias. Estes produtos terão maior valor agregado com a obtenção da identidade geográfica e rastreabilidade. Como consequência, haverá a valorização cultural e o impacto positivo na qualidade de vida e alimentação da comunidade.

    • Plantio Seringueira e Cacau no Planalto do Estado de São Paulo – Empreendedorismo Sustentável (São José do Rio Preto, SP): O projeto da Associação Comercial e Empresarial de São José do Rio Preto é implantar o consórcio do cacau e seringueira no Planalto Paulista, maior região produtora de borracha natural do país, gerando a oportunidade de melhorar as condições socioeconômicas e proporcionar um ganho ambiental para toda a região.

    • Enjoy – Multi Espaço Produtivo e Inclusivo em Alimentação (São Paulo, SP): A equipe do Enjoy utilizará o valor para a criação de um Multi Espaço para produção e distribuição de alimentos, gastronomia social, consumo consciente e acesso à alimentação equilibrada da periferia de M’Boi Mirim até a Zona Rural de Parelheiros, Zona Sul de São Paulo.

    • Rodas de distribuição – Prato Firmeza (São Paulo, SP e Rio de Janeiro, RJ): Realizado pela Associação da Escola de Jornalismo, será feita a distribuição do guia gastronômico Prato Firmeza e do guia metodológico nas periferias do Rio de Janeiro e São Paulo. Replicação da metodologia sistematizada desenvolvida em conjunto com o Prato Firmeza 3.

    • Gastronomia para Viver. (Chapecó, SC): O Programa Viver Ações Sociais visa trazer oportunidades de qualificação profissional e empreendedorismo na área de gastronomia por meio de cursos de panificação, confeitaria e culinária geral, além de comercializar produtos visando a sustentabilidade do projeto.

    • Circuito StartupTech (Uberlândia e Viçosa, MG; Goiânia, GO e Curitiba, PR). Desenvolvido pela Associação Wylinka, o projeto inclui um programa de empreendedorismo e desenvolvimento de soluções voltadas para os desafios da cadeia de alimentação a partir do conhecimento gerado pelas pesquisas e inovação das universidades.

    • Saladorama: Formação de Consultoras de Saúde e Bem Estar (São Paulo, SP e Recife, PE): O Instituto Saladorama irá promover territórios com melhores condições de acesso à educação alimentar e à alimentação segura, sustentável e acessível, por meio da formação prática e empreendedora de 120 consultoras de saúde e bem estar nos territórios de Jardim Lapena/SP, Heliópolis/SP e Recife/PE e da consolidação das operações da Rede Saladorama nestes respectivos territórios.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    dez − 9 =