Empreendedorismo Feminino: a força está com elas

    0
    282

    No mês de celebração do Dia Internacional do Empreendedorismo Feminino, números do Relatório de Empreendedorismo Feminino (2021) – principal estudo em andamento sobre dinâmica empresarial no mundo – apresentado pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM) revela que, globalmente, as mulheres empreendedoras representam cerca de um em cada três empreendedores orientados para o crescimento ativo em todo o mundo.

    O mesmo levantamento mostrou ainda que o empreendedorismo feminino é um fator fundamental para potencializar o crescimento econômico inclusivo nas economias em desenvolvimento. Segundo o estudo, em países de baixa e média renda, 17% das mulheres são empreendedoras e 35% pretende se tornar empreendedoras.

    Ainda de acordo com o balanço, mais da metade das mulheres dos países em desenvolvimento, como é o caso do Brasil, veem o empreendedorismo como um caminho para um futuro melhor e por aqui não faltam histórias de mulheres que abraçaram o sonho de ter o próprio negócio. Indicadores recentes do Sebrae, mostram que elas conduzem cerca de 34% dos negócios do país e os setores da economia em que atuam são diversos, com destaque para indústria, agro e saúde.

    Os índices animadores, que apontam para o avanço da presença feminina no mercado, também são fontes de inspiração para mulheres de norte a sul do Brasil. Para incentivar e valorizar a participação do público feminino no mundo corporativo, convidamos as executivas Janete Vaz e Sandra Costa, sócias-fundadoras do Grupo Sabin, a compartilharem suas histórias e os desafios superados, para estimular cada vez mais a abertura de empresas sob o comando delas e impulsionar as estatísticas em favor de um cenário mais igualitário, diverso e inclusivo.

    Grupo Sabin: uma empresa de alma feminina

    Hoje, no cargo de presidente e vice do Conselho Administração, respectivamente, Janete e Sandra são consideradas modelos de empreendedorismo feminino e sinergia de valores e propósitos para ativar o espírito empreendedor.

    Reconhecidas pela força e superação para transformar seus sonhos em realidade, as empreendedoras têm trajetórias de sucesso, que começaram a ser escrita há 38 anos, quando decidiram unir esforços para fundar uma das principais empresas de medicina diagnóstica na capital do Brasil.

    À frente da governança corporativa da empresa de alma feminina, as sócias-fundadoras também acumulam histórias que celebram a força da mulher no ecossistema empresarial e no setor de saúde.

    “No Sabin despertamos em nossas profissionais o desejo de crescer, inspirando-as e mostrando suas possibilidades dentro do campo de atuação e assim contribuímos para fortalecer suas carreiras com práticas que aprimoram suas capacidades para as posições de liderança, mas também propiciando um ambiente organizacional para que assumam esses desafios”, destaca Sandra Soares Costa.

    “Éramos nós duas e mais três funcionários quando decidimos abrir as portas da nossa primeira unidade, em Brasília. Superamos preconceitos, desconfianças, e com muita determinação e talento conquistamos a confiança do mercado e mantivemos o foco em nosso objetivo maior: crescer e oferecer saúde de excelência em todas as regiões do país. Elegemos Lídia Abdalla, uma mulher para a presidência da empresa que lidera a gestão de nosso Grupo que possui mais de 7 mil profissionais comprometidos com a nossa missão de oferecer serviços de saúde com excelência para mais de 7 milhões de clientes”, declara Janete Vaz.

    Sob a liderança deste conselho e com um modelo de gestão pautado por propósito e valores bem estruturados, a empresa participa ativamente de movimentos sociais e empresas que também querem deixar um legado para empresas e organizações.

    “Entendemos que nossa missão como líderes transcende as nossas estruturas e, para inspirar o contexto empresarial, participamos ativamente de ações coletivas e de políticas públicas voltadas para a diversidade e inclusão. Estamos engajados a vários movimentos para construirmos uma cena empresarial ética, valorizando o protagonismo feminino. Como empreendedora, acredito que a diversidade nos fortalece como negócio, como grupo e como pessoas”, observa Sandra.

    Hoje com 77% do quadro funcional composto por mulheres ocupam 74% dos cargos de liderança na empresa. “Como empreendedoras, assumimos a missão — para nós mais do que especial — de inspirar e influenciar a sociedade na construção de um contexto empresarial que valoriza e estimula a diversidade, permitindo principalmente que as mulheres possam exercer plenamente seus papeis na família, no trabalho, na sociedade, nas empresas e nas instituições”, destaca Janete.

    Presente em todas as regiões do país, o Grupo destina investimentos sólidos para projetos e iniciativas que favorecem a diversidade e a igualdade no mundo dos negócios, como o Programa Diversidade & Inclusão. Criado em 2018, a ação acumula reconhecimentos nacionais e internacionais pelo desenvolvimento do trabalho que reforça o compromisso de promover a evolução contínua da pauta e avançar nos incentivos à equidade de gênero no ambiente empresarial. Desempenho também celebrado em prêmios como “Valor Mulheres na Liderança”, título de Empresa do Ano 2020, do Guia Exame da Diversidade e Inclusão; nos reconhecimentos da consultoria global GPTW, entre outros que chancelam a forte atuação junto à sociedade nos aspectos de ESG.

    Com uma cultura organizacional que proporciona um ambiente diverso e harmônico, o Grupo Sabin também adota os 7 Princípios de Empoderamento das Mulheres, estabelecidos pela ONU Mulheres e que ajudam a incorporar valores e práticas para garantia da equidade de gênero. A empresa também investe no engajamento da liderança das mulheres no universo das startups, e é uma das investidoras da Women Entrepreneurship (WE), projeto da Microsoft que inspira o empreendedorismo de startups lideradas por mulheres.

    À frente do Conselho de Administração do Grupo Sabin, as sócias Janete e Sandra têm sua a história de empreendedorismo contadas no livro “Empreendendo Sonhos” e em diversas obras como “Empreendedoras de Alta Performance” e “Mulheres no Conselho”.

    DEIXE UMA RESPOSTA