Dia Internacional da Mulher, muitas são celebradas outras tantas não lembradas. Mas isso importa?

    0
    397
    [xyz-ips snippet="Banner-728x90"]

    Pela Folha do Cerrado tenho a honra de celebrar o Dia Internacional da Mulher, a começar pelas mães dos meus filhos. Às que tanto me suportou e suporta ainda. Mas também às que vejo em vários lugares e às labutam sem que eu as veja.

    Leude, Gisela, Márcia, Iracema, Deusilene, Ilva, Carla, Ivoneide, Ariádina, Fernanda, Bricinha, Ariane, Raiane, Alzira, Ana Paula, Thaís, Ivani, Raimunda, Silvana, Viviane, Cristina, Patrícia, Sônia, Magnólia, Rose… e a todas quase centenárias de Balsas…

    A todas às Mulheres que levam à força o pão de cada dia de suas famílias e que oram ou rezam pela paz, saúde e bonança de seus entes vivos, a todas que levam a pulso as empresas geradas pelos maridos esmorecidos pela crise do país ou pela incrédula vontade de seguir no vermelho, desanimados pelos vícios, que nós homens de bem possamos ajoelhar perante sua inteligência exposta e sua coragem impulsiva.

    Sem exagero, a Mulher de hoje está sendo as mãos e os pés do homem, mas para ele, ela entrega o coração como medalha pelas oportunidades que vêm alcançando a cada dia galgado com a paciência, persistência e destinação. Determinada, como sempre foi de conquistar um esposo ou aceitar sua aliança, pelo amor se incumbe da subserviência, mas sempre almeja chegar à igualdade pois sabida do que pode não usa salto para ultrapassar-nos, mas para olhar mais de perto o céu e rogar pela proteção da árvore da qual é o tronco – a família.

    Mulher, de homem ditador, que empunha em suas mãos o horror das guerras que mata a fera desarmada, mata a mãe no dia das mães e a esposa no dia da Mulher, tem a melhor arma que mata de inveja no tapete da desigualdade.

    O que isso importa? Neste dia, em que muitas são lembradas e celebradas, outras tantas esquecidas e não perdoadas. Que a glória não suba para a cabeça como um troféu de tantas lutas, mas que o destina abriu as portas de um tempo determinado e não por um destino cansado.

     

    PARABÉNS A TODAS AS MULHERES!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    dezoito + 18 =