Dia do Empreendedor: 4 dicas para internacionalizar sua marca no Brasil

    0
    319

    De acordo com o Sebrae, o país possui atualmente 74,2 mil MEIs ativos de estrangeiros

     

    O dia do empreendedor é celebrado anualmente em 5 de outubro. Considerada uma homenagem à criação do Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, a data simboliza a coragem, determinação e visão daqueles que se desafiam em criar e gerir negócios.

    De acordo com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), o Brasil possui atualmente 74,2 mil MEIs (microempreendedores individuais) ativos de estrangeiros. Porém, antes da pandemia da Covid-19, o número registrado era de apenas 42,9 mil.

    Outro estudo realizado pelo Sebrae em 2023, com base em dados da Receita Federal, mostra que entre as dez nacionalidades que mais possuem estrangeiros empreendedores no Brasil, sete são da América Latina, incluindo países como Venezuela, Bolívia, Colômbia, Argentina, Uruguai, Peru e Uruguai, nos quais concentram-se 56% dos MEIs. Logo, fica claro que inúmeras pessoas visam não apenas empreender, como trazer o negócio para o mercado brasileiro. Mas, afinal, quais passos elas devem seguir?

    Pensando nisso, Alvaro Loyola, Country Manager da Drivin Brasil, uma scale-up que automatiza os processos logísticos das empresas em todo o comércio global, que inclusive possui matriz no Chile, mas está há quatro anos com suas operações no Brasil posicionadas com robustez no mercado nacional, elencou abaixo quatro dicas essenciais para internacionalizar sua marca no país, listando assim quais passos devem ser seguidos e analisados. Confira:

    Resete sua empresa

    Quando se fala em trazer uma organização que tem sua operação no exterior, seja na América Latina ou até mesmo em outros continentes, o primeiro passo é resetá-la, iniciando assim as operações de acordo com o país. Na sequência, se torna necessário introduzir o ato de “tropicalização”, que nada mais é do que acomodar a estratégia, modelo de negócio e gestão, e as tecnologias envolvidas de acordo com o novo mercado, a fim de criar mais proximidade.

    Nesta etapa, as empresas precisam entender não apenas o mercado de atuação, como também as necessidades específicas de cada ramo. Ou seja, embora você pesquise sobre o público-alvo, isto pode não ser suficiente, uma vez que as diferenças culturais tendem a dificultar até mesmo processos básicos, a exemplo da comunicação entre empresas e consumidores.

    Logo, é essencial que o empreendedor traduza a estratégia de internacionalização para todos os colaboradores da empresa, sócios e demais integrantes do negócio para que isso faça parte da cultura empresarial. Envolva-os nos processos de tomada de decisão explicitamente relacionados à tropicalização. Ademais, avalie as particularidades do mercado em que deseja atuar, a fim de identificar os pontos mais favoráveis para o negócio.

    Pulverizar as soluções

    A segunda dica é, quando se trata de uma nova cultura, logo subentende-se que o mercado local já está acostumado com determinadas tecnologias e soluções. Sendo assim, é importante pulverizar e difundir o diferencial da sua empresa, trazendo novas maneiras de se fazer com que o público-alvo conheça os serviços oferecidos e, sobretudo, queira experimentá-lo.

    Além disso, tornar o ponto de encontro dessas soluções em uma única plataforma ou site, é de grande benefício para o negócio. Na realidade brasileira, é comum encontrar múltiplas plataformas para diversos serviços. Porém, assim como no varejo digital, em que há uma infinidade de estratégias e canais de venda, dispor de uma gestão centralizada possibilita que a loja cresça de forma organizada e escalável.

    Para Alvaro, garantir que o cliente receba o pedido exatamente como solicitado e dentro do prazo estipulado, é um dos maiores desafios atuais de qualquer operação. “Ao automatizar e digitalizar o processo, o empreendedor minimiza falhas, custos operacionais e tempo. Dedique-se, sempre que possível, em como crescer sua operação, construir uma marca de impacto, se relacionar melhor com seu cliente e oferecer uma experiência ainda mais encantadora”, complementa o executivo.

    Excelência no serviço gera credibilidade

    Não há dúvidas que a logística é uma parte estratégica para proporcionar uma excelente experiência de compra, logo o serviço de entregas deve ser eficiente. Porém, inúmeras empresas negligenciam situação e falhas operacionais que prejudicam a cadeia de distribuição, acarretando assim em impactos que poderão até mesmo levar o negócio à falência. Com isso, a terceira dica é: conheça o meio em que está se inserindo e ganhe credibilidade. Mas como fazer isso?

    Evidenciar para as pessoas o modelo de negócio, as etapas dos seus serviços, ser transparente e horizontal, faz toda diferença quando se fala em imagem e reputação. Além disso, dispor de um time focado na excelência das entregas e, principalmente, em transmitir confiança, segurança, credibilidade e um serviço de qualidade que atinge e ultrapassa as expectativas do público-alvo, contribui para que os clientes se transformem em verdadeiros parceiros do negócio.
    A cultura colaborativa promove um time alinhado para os propósitos da empresa, um excelente clima organizacional e, fundamentalmente, uma comunicação transparente, acarretando em um aumento na produtividade. Lembre-se: as organizações são compostas por pessoas, e feita para as mesmas, este é um dos principais fatores que levam ao sucesso.

    Investir em Customer Experience

    Independente do segmento em que deseja atuar, a quarta e última dica é: invista em CX, conhecidamente como Customer Experience ou experiência do cliente. Em todos os setores do mercado, seja alimentício, têxtil ou de inovação, ter processos bem definidos, e que sejam voltados para o consumidor final, é de extrema importância. Logo, pensar no CX como uma ferramenta de estratégia, e não apenas como de operações e logística, é o que trará diferenciais de mercado para o negócio.

    Investir na estratégia omnichannel, por exemplo, é fundamental para proporcionar uma experiência de compra inesquecível para os clientes e, consequentemente, aumentar a eficiência do negócio. Sendo assim, apostar na omnicanalidade – múltiplos canais -, ter consistência de informações transmitidas para seu público, e mútua conexão entre os canais de comunicação, é o que faz com que as expectativas do cliente estejam alinhadas com as da empresa.

    DEIXE UMA RESPOSTA