Conheça a egressa que defendeu monografia sobre as ações de Enfermagem no controle da Sepse

    0
    294

    Após concluir Enfermagem, Camilla Torres deu prosseguimento aos estudos em uma pós-graduação

    O profissional que atua na Enfermagem acompanha e cuida de pacientes, prestando assistência e garantindo a aplicação correta do tratamento médico de qualidade. Para Camilla Araújo Torres, egressa do curso de Enfermagem da Faculdade Florence, esse foi o principal motivo que a fez escolher a profissão em 2016 e defender, em 2020, seu Trabalho de Conclusão de Curso, cujo tema foi “Ações de Enfermagem no controle da Sepse: uma revisão sistemática”.

     

    A pesquisa da egressa Camilla foi inspirada em uma apresentação de um seminário da professora da disciplina Fundamentos para o Cuidar, Controle de Infecção Hospitalar e Sistematização da Assistência de Enfermagem, Márcia de Jesus, que, por conseguinte, tornou-se a sua orientadora.

    “Acho esse tema muito relevante e a minha pesquisa apontou, em suma, que para a redução dos índices de mortalidade relacionados a tal patologia é necessário que o diagnóstico seja realizado precocemente, analisando-se as possíveis disfunções orgânicas e estabelecendo condutas prioritárias visando à estabilização do paciente, principalmente em estado crítico, afinal estima-se que, em todo o mundo, cerca de 20 a 30 milhões de pacientes sejam atingidos por ano pela Sepse, sendo contabilizadas, a cada hora, mil mortes de pacientes devido à patologia, e, a cada dia, o número chega a 24 mil”, explicou Camilla sobre a relevância da sua pesquisa.

    Por isso, Camilla destaca que a atuação do enfermeiro e sua concepção sobre os tratamentos do paciente séptico são indispensáveis. “O enfermeiro acompanha o paciente durante todo o tempo de internação, tornando-se assim importantíssimo no reconhecimento precoce dos eventos adversos que podem agravar o quadro do doente”, detalhou

    Contribuições da Florence para sua carreira

    Atualmente, a egressa Camilla Araújo Torres continua seus estudos na área de Enfermagem em uma pós-graduação de Gestão em Saúde Pública, mas, antes disso, estudou e trabalhou desde 2016 para concluir a graduação em Enfermagem na Florence.

    “Apesar dos grandes desafios para permanecer no curso, tive muitas conquistas, como a participação em jornadas e mostras acadêmicas, congressos com apresentações de trabalhos e premiações, ingresso na Liga de Saúde da Criança, tudo idealizado pela Faculdade Florence e seus profissionais, que nos dão asas para voar”, contou saudosa, relembrando da sua colação de grau no formato on-line, um momento que, segundo Camilla, foi emocionante. “Mesmo a solenidade sendo à distância por conta da pandemia, senti o afago dos amigos, familiares e professores”, revelou.

    Objetivos futuros

    A egressa que escolheu a Enfermagem pela vontade de ajudar o próximo e também para ser uma voz que busca por melhorias na profissão tem como objetivos futuros se estabelecer enquanto profissional depois da conclusão da pós-graduação e continuar suas pesquisas acadêmicas em um mestrado e doutorado.

    O que é Sepse?

    O processo inflamatório difuso da sepse grave causa uma dilatação dos vasos sanguíneos, provocando uma queda da pressão arterial, que, em casos graves, pode levar a um estado de choque circulatório (chamado choque séptico).

    A sepse ocorre quando substâncias químicas liberadas na corrente sanguínea para combater uma infecção desencadeiam uma inflamação em todo o corpo. Isso pode causar uma série de alterações que danificam diversos sistemas de órgãos, levando-os a falhar e, às vezes, resultando em morte.
    Os sintomas incluem febre, dificuldade respiratória, pressão arterial baixa, ritmo cardíaco acelerado e confusão mental.
    O tratamento inclui o uso de antibióticos e fluidos intravenosos.

    Sintomas da sepse

    De acordo com o Instituto Latino-americano de Sepse (ILAS), é importante ficar atento aos seguintes sintomas:

    – Febre

    – Aceleração do coração

    – Fraqueza

    – Respiração rápida

    – Pressão baixa

    – Diminuição da urina

    – Confusão mental

    A transferência do paciente nas primeiras 24 horas para uma unidade de terapia intensiva é fundamental para o aumento das chances de sobrevida, pois a sepse evolui em questão de horas nestas cinco etapas.

    DEIXE UMA RESPOSTA