Centro Sentinela de Balsas recebe comitiva da OMS – Organização Mundial de Saúde

    0
    826

    O Centro Sentinela de Balsas/MA recebeu, nesta sexta-feira, 13/07, as visitas do suíço medical officer da Organização Mundial da Saúde, Moazzam Ali, do consultor em Saúde Reprodutiva da OMS, Adriano Tavares e da coordenadora substituta da Saúde da Mulher, do Ministério da Saúde, Maria Gerlívia Angelim, para debater sobre o serviço sentinela entre a rede básica de saúde de Balsas e região.

    Participaram do encontro o Chefe de Gabinete, Adriano Tito, Eliabe Aguiar, diretor do Hospital Regional de Balsas, Liana Bastos Modesto, Enfermeira e coordenadora do Centro Sentinela, as médicas drª Janaína Tavares e drª Lina Júlia Melo e profissionais da saúde pública, apresentados por Cátia Coelho Lima.

    Liana Bastos ressaltou que a visita das 03 autoridades da saúde nacional e mundial “é muito importante não só porque mostra que nós estamos fazendo um trabalho com resultado significativo, mas porque podemos contribuir para a saúde das mulheres e na redução do índice de mortalidade materno-infantil no município de Balsas. A vinda deles é bem gratificante para nós. Isso mostra que a gente está fazendo a coisa certa”.

    Profissionais de cidades circunvizinhas presentes no Encontro

    A enfermeira apresentou gráficos bastante significativos, comparativos mostrando o aumento de DIUs inseridos no período entre 2013/2016 de 08 DIUs inseridos, com aumento entre 2017/2018 para 1.155 DIUs inseridos, isso classifica Balsas com o maior número de DIUs inseridos, o que torna o município referência mundial. Liana afirmou ainda, que hoje o município possui 07 médicos treinados em Balsas para 03 Unidades de Saúde que já estão fazendo a inserção e mais 05 municípios (com representantes no encontro: Sambaíba, Tasso Fragoso, Riachão, Fortaleza dos Nogueiras), treinados pela regional. Além de 480 mulheres que fazem acompanhamento no programa Sentinela, com outros métodos. Liana disse ainda que “no passado, o número era de 40 abortos, hoje a gente tem uma média de 27. Tem muito aborto de adolescente, mas é uma coisa que a gente vai fazer um trabalho nas escolas. Eu Acredito que até o final do ano a gente deva ter bons resultados ainda em cima disso”. E ratificou que as rodas de conversas e palestras nas escolas têm levado maior esclarecimento à população. “o DIU veio para a mulher planejar a gestação dela. Qualquer mulher independente dela ter filho ou não, ela pode fazer inserção do DIU. A gente coloca em pacientes que nunca tiveram filhos. Ela vai planejar quando ela pretende engravidar”. Completou a enfermeira.

    Adriano Tavares entregou 80 kits de DIU para Liana Modesto, Enfermeira Chefe do Sentinela, completar o estoque de Balsas e as outras 05 cidades.

    Adriano Tavares disse que o Maranhão ainda é um dos 03 estados brasileiros com maior mortalidade de mulheres durante pré-parto, parto ou pós-parto, “conforme estudos nossos, uma mulher maranhense tem 70% de chance de morrer durante o parto que qualquer outra brasileira, o que deveria ser motivo de alegria, torna-se um transtorno”. E concluiu: “Mas com todo avanço, Balsas tem sido uma fonte inspiradora. Disse o consultor”.

    Perguntado sobre a importância da visita de um diretor da OMS em Balsas, Moazzam Ali respondeu: “Acho que para o Maranhão é muito importante porque não temos outros lugares como Balsas, que estamos vendo resultados muito bons na melhoria da qualidade do atendimento, no Planejamento Familiar. Muitas mulheres que querem atrasar a gravidez ou ter espaçamento entre duas crianças. Por isso é muito importante ter serviços de boa qualidade. No passado, foram alguns desafios a estes problemas, mas com o apoio deste projeto, somos capazes de prestar cuidados de alta qualidade e as mulheres estão usando o serviço, porque vemos na apresentação um número muito alto de mulheres que estão aceitando nossos serviços, o que é excelente.”. Ressaltou Moazzam.

    Gerlívia Angelim mostrou-se satisfeita com os trabalhos realizados e os resultados sendo alcançados pelo Centro Sentinela, como dr. Adriano Tavares e Moazzam Ali justificaram. “Então é gratificante estar aqui, junto com os profissionais que estão desenvolvendo essas atividades, esse projeto que é o Centro Sentinela, que tem uma parceria com o Ministério da Saúde e a Organização Mundial de Saúde, porque uma das prioridades do Ministério da Saúde é a garantia dos direitos sexuais e direitos reprodutivos das mulheres. E o que nós queremos com isso? Que esse direito seja garantido, ampliar o acesso. Então nós queremos ampliar, dar condição para essa mulher ter acesso a todos os métodos contraceptivos, ter a informação necessária e ter o direito de escolher o período, o momento certo de engravidar.”. Concluiu Gervília.

    O chefe de Gabinete, Adriano Tito, adiantou que Balsas deve ser um modelo para o mundo. O que fizer deve ser bem feito…

     

    O diretor do Hospital Regional de Balsas, Eliabe Aguiar, afirmou que a implantação do Centro gera uma economia para os cofres públicos, já que um parto não pensado da mulher tem um custo de quase R$ 2.500 e a implantação de 1.155 DIUs…

     

     

    Da Redação

    DEIXE UMA RESPOSTA