Bolsonaro confirma 13º do Auxílio para mulheres a partir de 2023

    0
    325

    Candidato à reeleição pelo PL diz que equipe econômica já sabe de onde tirar recursos para atender 17 milhões de pessoas.

    [xyz-ips snippet="Banner-728x90"]

     

    O presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), confirmou nesta 3ª feira, 04/10, o pagamento do 13º do Auxílio Brasil para as mulheres a partir de 2023. A iniciativa será uma das principais estratégias do chefe do Executivo para conquistar a reeleição no 2º turno, contra Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

    “Já está acertado, só para as mulheres, são 17 milhões, a partir do ano que vem. E mais: o auxílio de R$ 600 está garantido para todo nosso governo. Isso acertado com Paulo Guedes. Recursos já sabemos de onde virão. No momento, está garantido R$ 600 por lei e os R$ 200 extra vamos manter o valor a partir do ano que vem, já garantido”.

     

    A nova medida passaria a valer a partir de 2023, se o presidente for reeleito em 30 de outubro. “Não dá para tratar desse assunto agora porque é proibido pela lei eleitoral. A partir do ano que vem, 13º para o Auxílio Brasil”.

    A economia será o principal tema explorado pela campanha de Bolsonaro na 2ª etapa do pleito.

    No domingo, 02/10, depois de anunciado o resultado e confirmado o 2º turno com Lula, Bolsonaro disse a jornalistas que reconhecia a necessidade de mudança indicada pela população por causa dos efeitos econômicos causados pela pandemia e pela guerra. Declarou que sua campanha não conseguiu atingir parcela importante da sociedade.

    Ao reconhecer o clamor popular por preços mais baixos e pelo maior poder de compra, o presidente deve explorar ainda mais o pagamento do auxílio na 2ª rodada da disputa.
    Bolsonaro já fez proposta similar na última eleição e avalia que o benefício social pode ser mais evidenciado e associado a ele nesta fase da campanha.

    Em 2019, o governo conseguiu pagar uma 13ª parcela aos beneficiários do programa –na época, chamado de Bolsa Família.

     

    Em 2020, por causa da pandemia, a equipe econômica não pagou o 13º aos beneficiários, já que milhões de pessoas recebiam o Auxílio Emergencial.

    Outra estratégia do presidente para fisgar votos do eleitorado mais pobre foi uma mudança no cronograma de pagamento do auxílio. Os repasses dos R$ 600 começarão em 11 de outubro e terminarão no dia 25, antes do 2º turno.

     

    Fonte: Poder 360

    DEIXE UMA RESPOSTA

    dezenove − 8 =