Bebê nascido com grave prematuridade no Hospital Regional de Balsas/MA recebe alta

    0
    532

    Hospital gerenciado pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) mantém unidade neonatal para atender casos graves de crianças nascidas prematuras

    [xyz-ips snippet="Banner-728x90"]

    Dia 17/06, a equipe do Hospital Regional de Balsas, no Maranhão, recebeu visita da família do bebê Isaac Emanuel Torres Oliveira de Sousa, 4 meses, nascido na unidade neonatal do hospital gerenciado pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). A ação teve tom emotivo pela história de luta pela vida do bebê.

    No dia 23 de janeiro, a mãe de Isaac, Luziane Torres Oliveira de Sousa, sentiu cólicas e teve sangramento. “Fiquei com medo de abortar. Não sentia dor e fui para o médico”, disse. Em caráter de urgência, o médico solicitou encaminhamento para atendimento no Hospital Regional de Balsas, referência na região para atendimento de urgência e emergência a gestantes.

    No hospital, a orientação foi internação, repouso absoluto e acompanhamento multidisciplinar para garantir mais dias de vida intrauterina. Após 17 dias de internação, foi realizada a cirurgia de parto normal, antes de completar 25 semanas de gestação. Isaac nasceu pesando apenas 846 gramas, com alto risco de morte. Foi necessário fazer intubação orotraqueal e internação em incubadora para garantir a sobrevivência do bebê.

    Dentro da UTI Neonatal, bebês dispõem de equipamentos diversos, como monitores cardíacos (que avaliam a frequência cardíaca e alterações), monitores respiratórios e cateteres, para promover a nutrição da criança. Na UTI Neo, funciona também a Unidade de Cuidados Intermediários (Ucinco), etapa que a mãe acompanha de perto a evolução da saúde do bebê. Foram 20 dias sem sair do hospital, colaborando na assistência e garantindo a sobrevivência do filho.

    Em etapa seguinte, com a melhora de Isaac, mãe e filho foram para a Unidade Canguru (a Ucinca), etapa que consiste no fortalecimento do vínculo, com acompanhamento de cuidados, orientações sobre alimentação e amamentação, junto com a equipe multiprofissional.

    Após 4 meses de convivência e acolhimento da equipe do hospital, Luziane, Isaac, e o pai, Clemente Neto, receberam a notícia da alta hospitalar, como explica a pediatra Luciane Oliveira. “É um tipo de alta programada. O bebê já tem condições de ir para o convívio familiar, mas com todo suporte da equipe médica mais próxima de seu bairro, do Programa Saúde da Família, que inclui balão de oxigênio, suporte nutricional, receitas, orientações e encaminhamentos multiprofissionais para atendimento com oftalmologista, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional e fisioterapeuta”, explicou.

    Com a consulta de retorno, o ambulatório pediátrico do Hospital Regional de Balsas realiza os encaminhamentos necessários para o acompanhamento do desenvolvimento do bebê. “Hoje ele está bem, graças a Deus. O período de internação, longe dos meus outros filhos, foi muito difícil, tive que ter muita fé e confiança para superar esse momento, mas a equipe do hospital me deu segurança, fui muito bem acolhida”, finalizou Luziane de Sousa.

     

    Ascom Instituto Acqua

    DEIXE UMA RESPOSTA

    doze + 4 =