47° Festival Guarnicê de Cinema inicia programação nesta sexta-feira, 07

    0
    376

    Promovida pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), por meio da Diretoria de Assuntos Culturais (DAC) da Pró-reitoria de Extensão e Cultura (Proec), a 47ª edição do Festival Guarnicê de Cinema abre suas portas para o público nesta sexta-feira, 7, no Teatro Arthur Azevedo, à partir das 19h, com uma homenagem especial à atriz Bete Mendes e a exibição do filme “Estranho Caminho”, assinado pelo cineasta cearense Guto Parente.

    Entre ações formativas e apresentações de produções do audiovisual local e nacional, a sétima arte será celebrada durante uma semana em diversos pontos de projeção ao redor de São Luís. As mostras competitivas ocorrerão exclusivamente no espaço do Palacete Gentil Braga, no Cineteatro Aldo Leite, a partir do sábado, 8,  assim como a mostra paralela “Para Não Esquecer” que contará com uma única exibição presencial do curta-metragem “Depois Deste Desterro” no dia 13. As mostras paralelas “Guarnicêzinho”, “Mostra Jovem” e “Cinema Não Tem Idade”  iniciam na segunda-feira, 10, no Teatro Sesc Napoleão Ewerton, assim como a “Faz Todo Sentido”, voltada para pessoas com deficiência auditiva, que ocorre entre os dias 11 e 13 de junho; e uma das grandes novidades desta edição do Guarnicê é a Mostra Universitária, que contará com a projeção de curtas-metragens e outras peças audiovisuais produzidas por estudantes de Instituições de Ensino Superior, sediada no espaço do Cine Sesc Deodoro.

    As oficinas de fotografia, atuação e acessibilidade no audiovisual ocorrerão no Palacete Gentil Braga, enquanto as de roteiro, produção em videoclipe e animação estarão localizadas no Casarão da Indústria – SESI, na praça João Lisboa no Centro Histórico; todas serão ministradas em formato presencial, nas manhãs de 10 a 14 de junho. Além disso, outra atividade importante que compõe a programação das ações formativas é o Seminário Ciência Cine Guarnicê, iniciativa que permite a criação de um espaço de discussão acadêmica sobre o audiovisual durante o festival. Os trabalhos selecionados serão apresentados nos dias 11, 12 e 13 no Palácio Cristo Rei.

    Desde 2020, o Festival Guarnicê de Cinema adotou o formato híbrido, permitindo com que o evento atinja um escopo internacional e pluralize cada vez mais seu público a cada ano. À medida que forem exibidas, as obras participantes desta edição serão disponibilizadas no site do festival e na plataforma CineGuarnicê. Também é importante ressaltar que as mostras paralelas “(Re)Existência”; “Afroperspectivas”; “Elas por Elas”; “Em Colapso o Planeta Gira”; “Faz Escuro Mas Eu Canto”; “Feito de Coisas Lembradas e Esquecidas”; “Medo de Quê?”; “Cenário BR”; e “Cenário MA”, ocorrerão exclusivamente de forma online.

    ABERTURA

    Para demarcar o início das festividades da 47ª edição do Guarnicê, uma homenagem à atriz e ativista política Bete Mendes será realizada no palco do Teatro Arthur Azevedo. Comprometida com as artes cênicas e com a luta pelas transformações sociais desde a juventude, Bete Mendes se consagrou ao longo dos anos não somente como uma das maiores atrizes do Brasil, mas também como uma personalidade essencial para os andamentos democráticos da nação brasileira, enfrentando a ditadura militar e sendo uma participante ativa de movimentos sociais e sindicais. Sua história se confunde e converge com a do cinema e do audiovisual no país. Em 1977, ano de nascimento do Festival Guarnicê de Cinema, à época batizado de “Jornada Maranhense de Super 8”, Bete estrelava a novela “Sinhazinha Flô”, que abordava a luta pela libertação dos escravizados no Brasil Império. Em 1981, compôs o elenco de um dos maiores clássicos do cinema nacional, o longa-metragem “Eles Não Usam Black Tie”, dirigido pelo cineasta Leon Hirszman, obra que retrata os percalços do movimento grevista entre a classe operária. Foi deputada federal entre 1983 a 1987 pelo Partido dos Trabalhadores (PT), organização na qual possuiu papel ativo na fundação. Posteriormente, foi Secretária Estadual de Cultura de São Paulo e presidente da Fundação de Artes do Estado do Rio de Janeiro (Funarj). Em 2007, interpretou Dona Benta na última temporada da versão para televisão do Sítio do Picapau Amarelo, ressaltando a expressividade de sua imagem na iconografia da arte brasileira.

    Quem também será homenageada durante a cerimônia de abertura do festival é a atriz, cantora, ativista e artista visual, Zahy Tentehar.  Nascida na aldeia Colônia, no território indígena Cana Brava, no Maranhão, Zahyr tem se consolidado como uma importante voz para a causa dos povos originários no cenário das artes cênicas e do audiovisual. Recentemente, apresentou o especial “Falas da Terra: selvagem” na Rede Globo, atualmente, está no ar pela emissora na novela “No Rancho Fundo”.

    A programação da abertura também contará com a apresentação do Grupo Lamparina, reforçando os ritmos e cores maranhenses tão tradicionais do período junino em que o Festival Guarnicê de Cinema é habitualmente ambientado.

    A noite será encerrada com a exibição do filme “Estranho Caminho” do cineasta cearense Guto Parente. Na obra, um jovem cineasta visita sua cidade natal e é surpreendido pelo rápido avanço da pandemia de Covid-19. O contexto o obriga a encontrar seu pai, com quem não fala há mais de dez anos. Todavia, depois do primeiro encontro, coisas estranhas começam a acontecer.

    ENCERRAMENTO

    Para finalizar mais uma edição do Festival Guarnicê de Cinema, o filme escolhido da vez foi “Betânia”. Dirigido por Marcelo Botta, o longa-metragem fará sua estreia nacional na noite de encerramento do festival, no dia 14 de junho, no Teatro Arthur Azevedo, a partir das 18h30. Produzido pela Salvatore Filmes com produção associada da Ventre Estúdio e coprodução Canal Brasil, o filme foi rodado inteiramente em território maranhense e conta com um elenco completamente local.

    SOBRE O FESTIVAL

    O Festival Guarnicê de Cinema segue sendo um dos aparelhos mais importantes para a democratização do cinema no Maranhão. Passando por diversas transformações ao longo de suas edições, o quarto mais antigo festival de cinema do país e mais longevo do Norte e Nordeste, permanece em uma busca incessante para se reinventar juntamente com as modificações da indústria cinematográfica e o aprimoramento e aumento do público. Diante do cenário atual, o Guarnicê passa a ser não somente uma celebração ao cinema regional, mas também um dispositivo que permite o alavancamento e a projeção do cinema brasileiro à nível internacional, além de se mostrar como um importantíssimo objeto de formação de plateia e capacitação de mão de obra especializada no audiovisual.

    SAIBA MAIS

    Para mais informações sobre a programação do 47º Festival Guarnicê de Cinema, você pode acessar o site do festival ou acompanhar o Instagram do evento. Nesta edição, a retirada dos ingressos para participar do evento será realizada online por meio do aplicativo Sympla hoje, 5 de junho, a partir das 12h. Serão distribuídos até dois ingressos por pessoa de forma gratuita e em quantidade limitada.

    Por: Gabriel Jansen – Diretoria de Comunicação da UFMA

    DEIXE UMA RESPOSTA