Para desenvolver ações para a melhoria dos índices educacionais em todo o estado, Secretaria de Educação está investindo na infraestrutura de escolas. Onze delas já funcionam em tempo integral. As mudanças no Ensino Médio a partir do ano que vem anunciadas na última quinta‐feira pelo Ministério da Educação terão reflexo direto na educação do Maranhão. A medida provisória nº 746/2016, publicada ontem, dia 23, em edição extra do Diário Oficial, promete deixar o aluno mais motivado e à vontade para estudar as matérias que mais tiver vocação.

O governo federal decidiu tornar metade da grade curricular fixa e igual para todos os alunos, a outra metade quem vai escolher é o estudante. A parte igual para todos está na Base Nacional Comum Curricular, a medida provisória determina que português, matemática e inglês serão disciplinas obrigatórias nos três anos.

Na outra metade, o aluno poderá escolher pela área de conhecimento ou de atuação profissional que mais se identificar: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas ou formação técnica e profissional. Aos poucos, o ensino médio passará a ser em período integral.

Para o Secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, antes mesmo do Ministério da Educação fazer o anúncio das novas medidas, o Governo do Maranhão já vinha desenvolvendo ações para a melhoria dos índices educacionais em todo o Estado. Há seis meses o Secretário chegava na pasta com desafios emergenciais no tocante à Infraestrutura, em relação ao estado dos prédios, vigilância e merendeiras. E o segundo desafio, estava relacionado à gestão de pessoas. “Tínhamos uma distorção muito grande, uma rede de professores grande, com uma folha extensa, mas ao mesmo tempo ainda faltando professores em sala de aula e com um número excessivo de professores contratados. O governador determinou que eu entrasse forte, emergencialmente nessas duas áreas. Iniciamos o maior plano de investimento em infraestrutura escolar da história do Maranhão em parceria com a Sinfra, que é o programa Escola Digna. Nesse contexto, já recuperamos e passaram por melhorias, mais de 330 escolas no total de 1.200 em nossa rede, contratamos também vigilantes e merendeiras para todas as escolas‐sede. Adquirimos 64 ônibus escolares que serão entregues após as eleições, regularizamos o repasse para os caixas escolares e merenda escolar que não estavam regularizados e desde o primeiro dia com conclusão na semana retrasada, a auditoria na folha”, destacou o Secretário.

Sobre as propostas para a reformulação do Ensino Médio propostas pelo governo federal, o Secretário Felipe Camarão disse que estão em harmonia com o que o Maranhão já vinha buscando, tanto em relação ao incentivo ao ensino em tempo integral quanto ao protagonismo juvenil e uma base curricular mais flexível no ensino médio.

“Desde as férias escolares de julho, nós começamos fortemente a trabalhar na reformulação do ensino médio aqui no Maranhão. Em diálogo com o Conselho Estadual de Educação, começamos a implantar a escola de tempo integral e um novo modelo de matriz curricular em nosso Estado. E o terceiro eixo que é a correção de fluxo, que diz respeito a aquele aluno que tem várias reprovações, que está fora da idade certa na série, tem 20 e poucos anos, mas ainda cursa sétima, oitava série, nono ano, não terminou sequer o ensino fundamental, que é um índice alarmante, 25% apenas dos nossos jovens terminam o ensino médio na idade correta. E para isso, estamos fortalecendo o ensino médio e já temos 11 escolas em tempo integral e pretendemos ampliar com essa possibilidade que o MEC abriu, passando pela formação continuada e qualificação de professores e uma cooperação com os municípios para formar melhor nossos alunos do nível fundamental I e II para chegar mais preparados no ensino médio”.

Fonte: O Imparcial

DEIXE UMA RESPOSTA